Por que precisamos falar sobre o suicídio? Setembro Amarelo

Por que precisamos falar sobre o suicídio? Setembro Amarelo

É uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, que teve início em 2015, através do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). 

O suicídio é um fenômeno complexo, de múltiplas determinações. Saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo. Fatores que merecem atenção são isolamento, mudanças de hábitos, perda de interesse por atividades que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite. O suicídio é um ato de comunicação. Quem se mata, na realidade tenta se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso parece insuportável. 

No Brasil, o suicídio é considerado um problema de saúde pública, e sua ocorrência tem aumentado muito entre jovens. De acordo com números oficiais, 32 brasileiros se matam por dia em média, sendo essa uma taxa maior do que a de vítimas de AIDS e da maioria dos tipos de câncer. De acordo com um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2014, o Brasil está em oitavo lugar dentre os países com maior número de suicídios, atrás da Índia, China, Estados Unidos, Rússia, Japão, Coreia do Sul e Paquistão.  O Rio Grande do Sul tem a maior taxa, com 10,2 suicídios por cem mil habitantes, seguido de Roraima, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina, conforme levantamento do Ministérios da Saúde abarcando o período de 2006 a 2010.

No mundo, o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos e a sétima causa de morte de crianças entre 10 e 14 anos de idade. A OMS também afirma que o suicídio tem prevenção em 90 por cento dos casos.

Origem da cor amarela 

Em 1994, um jovem americano de apenas 17 anos , chamado Mike Emme, tirou a própria vida dirigindo seu Mustang amarelo, ano 68 restaurado e pintado por ele mesmo.  Seus amigos e familiares, distribuíram no funeral cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para as pessoas, que estivessem enfrentando o mesmo desespero de Mike. E assim a mensagem foi se espalhando mundo afora.

Os pais de Mike, Dale Emme e Darlene Emme, iniciaram a campanha do programa de prevenção do suicídio “fita amarela”, ou “yellow ribbon”, em inglês. 

Alguns mitos sobre o suicídio

As pessoas, que, ameaçam se matar, estão apenas querendo chamar a atenção”. Falso.

Pois a pessoa pode sim estar passando por um período difícil de sua vida e estar solicitando ajuda. Toda e qualquer ameaça de suicídio, deve ser levada a sério.

O suicídio acontece sem aviso”. Falso

Apesar de muitos pensarem ser um ato impulsivo, isso nem sempre é verdade. Muitas pessoas pensam em suicídio constantemente. Além disso, muitos suicidas comunicam seu sofrimento diariamente a outras pessoas.

O suicídio só acontece com os outros.”  Falso

O suicídio pode ocorrer com quaisquer pessoas que estejam em um alto grau de sofrimento. Aqui vale lembrar que o sofrimento independe de dinheiro, classe social, etc…

Uma pessoa que tentou cometer suicídio uma vez, não voltará a tentar.” Falso 

Na verdade, as tentativas de suicídio são um indicador de que ele pode realmente ocorrer.

Suicídio e imprensa

Muitos acreditam que abordar suicídio na imprensa pode, de alguma forma, aumentar a incidências de casos no local. Todavia, é preciso falar corretamente sobre o assunto, de modo a evitar que informações inadequadas cheguem à população e aumentem o estigma relacionado aos transtornos mentais.

Pensando nisso, a Associação Brasileira de Psiquiatria lançou, em 2016, juntamente com o Conselho Federal de Medicina, um informativo Cartilha – Comportamento suicida: conhecer para prevenir”, um manual direcionado aos profissionais da imprensa”. Nele, podem ser encontradas dicas de como abordar o assunto sem desrespeitar as orientações da OMS.

Finalizando o mês de Setembro vamos continuar o processo “Falar e a melhor solução “.

Um grande abraço pra todos até o próximo texto…..

Simone F. D.S. Souza

CRP 06 / 73969

Este post tem 2 comentários

  1. Susy

    Um assunto absolutamente necessário ! Informações importantes e de fácil compreensão ! Vamos divulgar.

  2. Aparecida M de Quintal

    Falar sobre suicídio é absolutamente importante e necessário…
    Nos movimenta a pensar sobre suas causas e consequências…
    Trazer à tona esse assunto…colocar luz sobre ele…nos obriga a pensar na forma como estamos conduzindo nossas vidas nos tempos atuais…

Deixe uma resposta